MULHERES QUE MENTEM PARA PARECEREM MÃES PERFEITAS

A pressão para ser uma mãe perfeita força mais da metade das mulheres a mentir sobre seus cuidados maternos para parecerem mães melhores do que seus pares. o website BabyCentre descobriu que 53% das mães preferem criar histórias sobre suas experiências maternas do que admitir que nem sempre tomam a atitude correta. O site entrevistou 1 mil britânicas, com o objetivo de desvendar os mitos da parentalidade. As informações são do Daily Mail. O estudo concluiu que as mulheres não só mentem para outras mulheres, como também para os parceiros para se colocarem em uma posição de mãe superior. Um em cada três entrevistadas confessou não ser totalmente sincera com a pediatra e cerca de 71% disseram que mentem para os filhos para tornar o dia mais fácil. A maioria das mães, nove em cada 10 entrevistadas, confessou usar a TV para manter a criança quieta. Um terço confessou deixar de contar a história para o filho antes de ele dormir e deixá-lo assistir um programa de TV, enquanto um quinto disse que, de vez em quando, substituem um jantar saudável do filho por chocolates e outros doces. A responsável pela pesquisa, Sasha Miller, acredita que a pressçao sobre as mulheres impede que elas sejam verdadeiras sobre os desafios de ser mãe. "Lutamos todos contra o tempo, eu não acho que as mães devem se sentir mal em admitir certos delizes", disse ela. O que mais surpreendeu a pesquisadora foi como as mães tentam manter as aparências frente a outras mulheres. O estudo ainda apurou que dois quintos das mulheres já sentiram antiparia pelo próprio filho e fazem comparação da criança com filhos de outras mulheres.Três quartos das entrevistadas afirmaram sentir alívio por ter que trabalhar após o fim de semana. Estudo: 90% das mães mentem que estão lidando bem com o bebê Já se perguntou por que para muitas mulheres a maternidade parece tranquila, enquanto você passa noites sem dormir, não come direito e vive sob altos níveis de estresse? Um estudo pode resolver o problema: a maioria das mulheres mente sobre as dificuldades em ser mãe. O estudo, feito pela Kiddicare descobriu que as mulheres tendem a exagerar o quão bem estão lidando com a chegada do bebê. Das 1 mil entrevistadas, 90% disseram “estar indo bem”, quando  não era verdade. As informações são do Daily Mail. O estudo descobriu também que 41% das mães não gostam de pedir ajuda ou até mesmo aceitar auxílio de familiares e amigos por medo de demonstrarem que não estão dando conta dos cuidados com o filho. Segundo a pesquisa, 79% das mulheres consideraram os primeiros três meses mais difíceis do que o imaginado e mesmo com toda a tecnologia do século 21, 84% afirmaram que ser mãe hoje é mais difícil do que foi para as gerações anteriores. "Pode parecer estranho que as pessoas que encontram dificuldade em lidar com a chegada do bebê relutem a pedir ajuda, mas a pressão para provar que podem fazer tudo direito é esmagadora”, afirmou Vicky Shepherd, porta-voz da Kiddicare. De acordo com o estudo, o que ajuda é ouvir experiências, boas e más, de outras mães. Em resposta aos resultados, a Kiddicare lançou um site com o objetivo de reunir relatos de mães experientes que possam ajudar as que acabaram de ter um bebê. Entre os maiores desafios da maternidade, o estudo listou: falta de sono (69%), pressões financeiras (35%), problemas de relacionamento (31%), sair de casa com o bebê (30%) e pressão para saber todas as respostas (22%). Fonte: Terra Comportamento

MULHERES QUE MENTEM PARA

PARECEREM MÃES PERFEITAS

A pressão para ser uma mãe perfeita força mais da metade das mulheres a mentir sobre seus cuidados maternos para parecerem mães melhores do que seus pares. o website BabyCentre descobriu que 53% das mães preferem criar histórias sobre suas experiências maternas do que admitir que nem sempre tomam a atitude correta. O site entrevistou 1 mil britânicas, com o objetivo de desvendar os mitos da parentalidade. As informações são do Daily Mail. O estudo concluiu que as mulheres não só mentem para outras mulheres, como também para os parceiros para se colocarem em uma posição de mãe superior. Um em cada três entrevistadas confessou não ser totalmente sincera com a pediatra e cerca de 71% disseram que mentem para os filhos para tornar o dia mais fácil. A maioria das mães, nove em cada 10 entrevistadas, confessou usar a TV para manter a criança quieta. Um terço confessou deixar de contar a história para o filho antes de ele dormir e deixá-lo assistir um programa de TV, enquanto um quinto disse que, de vez em quando, substituem um jantar saudável do filho por chocolates e outros doces. A responsável pela pesquisa, Sasha Miller, acredita que a pressçao sobre as mulheres impede que elas sejam verdadeiras sobre os desafios de ser mãe. "Lutamos todos contra o tempo, eu não acho que as mães devem se sentir mal em admitir certos delizes", disse ela. O que mais surpreendeu a pesquisadora foi como as mães tentam manter as aparências frente a outras mulheres. O estudo ainda apurou que dois quintos das mulheres já sentiram antiparia pelo próprio filho e fazem comparação da criança com filhos de outras mulheres.Três quartos das entrevistadas afirmaram sentir alívio por ter que trabalhar após o fim de semana. Estudo: 90% das mães mentem que estão lidando bem com o bebê Já se perguntou por que para muitas mulheres a maternidade parece tranquila, enquanto você passa noites sem dormir, não come direito e vive sob altos níveis de estresse? Um estudo pode resolver o problema: a maioria das mulheres mente sobre as dificuldades em ser mãe. O estudo, feito pela Kiddicare descobriu que as mulheres tendem a exagerar o quão bem estão lidando com a chegada do bebê. Das 1 mil entrevistadas, 90% disseram “estar indo bem”, quando  não era verdade. As informações são do Daily Mail. O estudo descobriu também que 41% das mães não gostam de pedir ajuda ou até mesmo aceitar auxílio de familiares e amigos por medo de demonstrarem que não estão dando conta dos cuidados com o filho. Segundo a pesquisa, 79% das mulheres consideraram os primeiros três meses mais difíceis do que o imaginado e mesmo com toda a tecnologia do século 21, 84% afirmaram que ser mãe hoje é mais difícil do que foi para as gerações anteriores. "Pode parecer estranho que as pessoas que encontram dificuldade em lidar com a chegada do bebê relutem a pedir ajuda, mas a pressão para provar que podem fazer tudo direito é esmagadora”, afirmou Vicky Shepherd, porta-voz da Kiddicare. De acordo com o estudo, o que ajuda é ouvir experiências, boas e más, de outras mães. Em resposta aos resultados, a Kiddicare lançou um site com o objetivo de reunir relatos de mães experientes que possam ajudar as que acabaram de ter um bebê. Entre os maiores desafios da maternidade, o estudo listou: falta de sono (69%), pressões financeiras (35%), problemas de relacionamento (31%), sair de casa com o bebê (30%) e pressão para saber todas as respostas (22%). Fonte: Terra Comportamento
Informativo Saúde Emocional